Bruno Puorto – High School, Canadá

Bom… intercâmbio… sempre que paro para falar sobre com alguém, da aquele aperto no peito, aquela vontade de voltar, aquela saudade imensa. Pra começar que já sou uma pessoa completamente fascinada por viajar o que só aumenta a minha vontade de sempre estar buscando algo para fazer abroad. Minha mãe fez intercâmbio quando estava na faculdade,  ficou um ano em Paris, cresci ouvindo as histórias, então desde pequeno tinha vontade de fazer também, falava em “Torontolo” ou “Ostrália” hahaha

Quando fiquei mais velho… bem, não tão velho assim, aquele período de pré-adolescência, comecei a frequentar feiras de intercâmbio, pesquisar lugares, etc. Com 14 anos decidi (me achando né? Haha) que era realmente isso que queria e por mim teria logo embarcado pra um de 6 meses, porém meus pais acharam que era muito cedo pra ficar um período tão longo – e realmente eu acho que era mesmo. Decidimos então, que  eu iria fazer um Intercâmbio Teen, programa que dura 1 mês e é durante as férias – escolhi Vancouver, no Canadá – e se curtisse depois faria um mais longo. Conclusão: curti pra c******!! Voltei falando que era isso mesmo que queria. Um ano e meio depois embarquei para Squamish, uma cidadezinha com 17 mil habitantes no meio do caminho entre Vancouver e Whistler, famosa estação de ski, para um programa de 6 meses, o famoso High School.

Bom, vamos para o que interessa, o programa em si. Exchange Program, acho que o nome já resume bem a ideia principal, né? É literalmente uma troca, você vive em uma cultura diferente da que você está acostumado, vive a vida de uma família que os costumes são diferentes dos seus, nova escola, novos amigos e tudo isso a milhares de quilômetros de distância de casa, o que deixa tudo mais empolgante.

Vou tentar resumir os pontos que eu acho mais relevantes, porque se depender de mim, dariam umas 10 páginas facilmente contando tudo de lá hahaha enfim… eu acho que a experiência que se ganha com um intercâmbio é algo que todos deveriam fazer. Costumo dizer que eu fiz “2 em 1”, tipo promoção, sabe? Vou explicar melhor hahah. Falo isso porque fiz o programa no Canadá, então escola canadense, amigos canadenses, o país em si que é incrível e cultura canadense. E a host family? Aí é que está o “segundo intercâmbio”. Tive o imenso prazer em ficar em um família de descendência indiana! Confesso que quando recebi o papel da família fiquei meio sem saber o que esperar, porque é uma cultura muito diferente da nossa, mas não podia ter pedido família melhor! Por isso que uma coisa que eu falo pra quem está indo ou pensando em ir é: vai de coração aberto. Uma das horas do dia que eu curtia muito era quando quase todas as noites, depois do jantar, a família inteira sentava pra tomar Chai  (chá indiano) e conversar. Era um momento muito gostoso. Além de mim, tinha um estudando do Chile que morava comigo, nos demos super bem. No Canadá, diferente dos EUA, muitas escolas são internacionais, ou seja, é comum nas escolas desse país ter uma quantidade considerável de intercambistas, ou International students, como somos chamados lá, o que pra mim foi uma experiência sensacional também; por exemplo, na escola em que eu estudei tinham mais ou menos 450 alunos, sendo que cerca de 100 eram Internationals. Então, além de canadenses, conheci pessoas de vários países, como, EUA, México, Chile, Alemanha, Suíça, Noruega, Espanha, Itália, Ucrânia, Japão, China, Filipinas, Mongólia, Índia, Austrália e claro “Brasilzão”; e com muitos deles mantenho contato até hoje, nos tornamos muito amigos mesmo. Na escola, tive oportunidade de fazer aulas que aqui no Brasil são impossíveis. Fiz Marcenaria (sei que você lembrou dos episódios de Manual de Sobrevivência Escolar do Ned hahah), Mecânica, trabalhei na Cafeteria da escola e joguei futebol americano. A  cidade em que eu  morava é totalmente de atividades outdoor, fiz de tudo lá, desde de subir em uma pedra em uma montanha as 5 da manhã para ver o amanhecer, fazer uma fogueira e assar marshmallowssentado nessa mesma pedra, vendo o pôr do sol, trilhas que até perdi a conta, até subir na montanha mais famosa da cidade, lugar inclusive que já serviu de cenário para filmes. Coisas que eu nunca fiz no Brasil. E por conta da proximidade com a estação de ski, ia quase todo final de semana, até trinquei o pulso fazendo snowboard.

Acho melhor encerrar por aqui, mas se deixasse…visshh, isso daria um livro.

Por mais que eu conte a experiência incrível que eu tive, é muito difícil colocar em palavras esse sentimento. Acho que só quem fez um intercâmbio consegue realmente entender a sensação.

-Bruno

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s