A dream is a wish your heart makes

Don’t let your heart be filled with sorrow, for all you know tomorrow the dream that you wish will come true.

Unknown.jpeg

Quem me conhece sabe bem como sou meio Disney freak! Depois da minha viagem de 15 anos para a Califórnia, onde conheci a Disneyland, a ideia de trabalhar naquele lugar tão mágico ganhou um cantinho especial no meu coração e na minha lista de sonhos. Mas sempre me pareceu algo muito distante da minha realidade.

Lembro de ter ouvido uma história de que a filha de uns amigos dos meus pais tinha trabalhado na Disney por um tempo e me fascinava saber que aquilo era possível. Ainda assim, não sabia como fazer, o que fazer, quando ou quanto sairia. E também não fui pesquisar sobre.

Quando decidi fazer intercâmbio de High School, em 2014, durante o Ensino Médio, descobri que aquele sonho não era tão impossível. A querida Debora Lago (❤) da agência STB de Santo André me contou um pouquinho da história dela como Cast Member e como era o processo. Achei incrível, mas meu foco naquele momento era fazer o intercâmbio de High School e me formar depois!

Pós intercâmbios e pré faculdade, “lembrei” da existência daquele tal programa da Disney, que só podia ser feito durante a faculdade. E lá estava eu, começando a faculdade (julho de 2015)!

No início deste ano decidi que aplicaria para o programa. Fui atrás de todas as informações possíveis, li blogs, conversei com pessoas que participaram, assisti vídeos de milhares de Youtubers, cada vez mais interessada, apaixonada e ansiosa para tentar.

Como diz meu melhor amigo: “Tem que ter emoção!” E começou com emoção logo quando tive que fazer a inscrição no site da STB e eles não liberavam o link e eu estava em aula! Foi tenso, mas consegui!

{29 de maio de 2016}

Fui para São Paulo para uma palestra sobre o programa e uma primeira entrevista em dupla (OI FABIO💕). Essa primeira entrevista foi feita pelo pessoal da STB mesmo!

Depois de receber o resultado da primeira entrevista, recebi um link para marcar a segunda entrevista, dessa vez direto com a Disney.

{15 de agosto de 2016}

Estava lá no escritório da Disney em São Paulo, na sala mais maravilhosa, cheia de brinquedos e produtos e todos os personagens, quando a recrutadora me chamou. E só naquele momento a ficha realmente caiu.

Me senti super bem e confiante durante a entrevista, falei tudo o que queria falar, respondendo todas as perguntas, tentando ser o mais clara o possível, demonstrando meu grande amor e interesse por essa empresa!

{29 de agosto de 2016} 

7h10 – Acordo com a linda notícia de que os resultados estavam saindo.

7h55 – Estava na faculdade quando a minha amiga maravilhosa Fe chega pulando de alegria e chorando porque passou. Comemoramos muito no corredor ❤

E depois de sete meses de ansiedade e dúvidas… um sonho de muitos anos tornou-se realidade.

7h57 – Novo email: Disney International Programs: CONGRATULATIONS!

congratulations.jpg

8h00 – Professor entra na sala e temos de fingir que não estamos EXPLODINDO de felicidade por dentro! Hahaha

Impossível descrever a sensação de ser aceita! Na hora passa um filminho na cabeça de tudo o que pode acontecer e dá vontade de chorar 😍 Entre agora e o mais novo dia tão esperado – 28 de novembro – tenho um Plano de Negócios e um TCC, então é foco e fé pra dar tudo certo.
Ah, algumas pessoas me perguntaram como funciona o programa. Esse é o link: http://www.stb.com.br/intercambio-trabalho/cultural-exchange-program
Salvem direitinho e fiquem de olho no primeiro semestre do ano de 2018!

Obrigada MESMO a todos que torceram e torcem por mim e para todos esses planos darem certo!

💕 Acompanhem no snapchat também: anaclarav

Have a magical day!

Ana Clara Vida

If you can dream, you can do it!

14102431_10206568972891770_7307795850917266752_n.jpg

Recebendo uma intercambista – AIESEC

Olha só quem apareceu!!!! Hahaha 🙂

Quem me conhece sabe que em Julho de 2015, eu e minha família recebemos uma intercambista da Turquia, a Gözde, que veio fazer trabalho voluntário, pela AIESEC. Foi uma experiência incrível para nós, realmente gostamos muito, eu me diverti pra caramba!
Para mim foi muito legal receber logo depois de fazer intercâmbio. Me senti como se estivesse devolvendo todo o bem que recebi quando morei na casa de outras famílias. Quem sabe em breve meus pais não decidem receber outro!! E quando eu estiver mais velha, sem dúvida alguma, quero receber intercambistas, sempre que puder!

g

11694903_10207209699589258_8752620261601921699_n.jpg

g1.jpg

Alguns meses atrás pedi para a Gözde compartilhar um pouco sobre a experiência dela aqui no Brasil, para eu postar aqui. E aqui está o que ela escreveu…

Uma Aventura Inesquecível,
de Gözde Öztürk

          “Era uma vez uma garota que queria viajar o mundo. Até que ela teve a oportunidade de visitar o Brasil, e corajosa como ela é, aceitou! E a aventura começou…” foi o que Rose, minha host mother, escreveu, na primeira página do álbum de fotos que a família me deu de presente. Eu li, com lágrimas dos olhos, logo antes de sair de casa para o aeroporto.
Desculpa por começar pelo final, deixa eu me apresentar! Meu nome é Gözde e sou da Turquia. Eu fui para o Brasil em Junho de 2015 e fiquei lá por 6 semanas. Fui, principalmente, para fazer trabalho voluntário na ONG Arrastão. Mas a experiência foi muito mais longe do que eu imaginava!

12239697_174850422863521_8854663169324688125_n.jpg

Morei com uma ótima família que cuidou de mim, me ajudou com tudo e me aceitou, com muito amor, e sem esperar nada de volta. A família é composta por quatro membros.
          Um cachorro muito fofo, que gostava de ficar sentadinho do meu lado todas as manhãs, enquanto eu tomava café…que me salvou quando fiquei presa no banheiro, pois ficou latindo na frente da porta..que gosta de fazer cocô no tapete porque fica bravo que o deixamos em casa sozinho…e que tem um pêlo extremamente macio e olhos adoráveis. Esse é o Theo.
Outro membro é o Jô, meu host father, também um super-herói, porque resolvia todos os meus problemas, até consertar meu prendedor de cabelo. Ele até aprendeu o básico de inglês para conseguir falar comigo. É madrugador, um pai e marido apaixonado, e um ótimo consertador!
A Rose, minha host mother, muito companheira. Me ouvia, me ajudava.. uma ótima host com amor e carinho genuínos. Sempre disposta a aprender, principalmente sobre a cultura Turca…uma excelente mãe, esposa, empresária, se tornou um exemplo para mim!
Finalmente, minha host sister, Ana, que me acompanhou nessa verdadeira aventura e segurou minha mão quando eu precisava. Ela me recebeu muito bem, me emprestou seu próprio quarto e me levou ao trabalho nos primeiros dias. Tive ótimos momentos com ela, todo lugar que íamos, era uma experiência diferente e nos divertíamos muito! Ela é bonita, inteligente, e adora a Audrey Hepburn tanto quanto eu. Tive muita sorte de tê-la enquanto estava no Brasil.
Agora vou contar um pouco sobre minha aventura no Brasil. Bom, muitas coisas aconteceram nessas 6 semanas, mas para resumir, tive a experiência da minha vida! Explorei uma cultura totalmente diferente, conheci muitas muitas pessoas (do Brasil e de vários outros lugares). Todos foram extremamente gentis e hospitaleiros. Tive a chance de descobrir mais sobre mim mesma.
Fiz coisas que nunca nem imaginaria fazer na Turquia! Peguei carona no carro da polícia, dancei no bar na frente de todo mundo depois de perder uma aposta, quase me afoguei nas fortes ondas de Ipanema, etc. Chorei algumas vezes, mas ri muito. Sentia saudades da Turquia, mas ao mesmo tempo não queria sair de São Paulo. Prometo que vou voltar um dia!

g3.jpg

          Foi difícil me comunicar por não saber muito da língua portuguesa, mas encontrei uma forma de entender as pessoas e me expressar bem, mesmo sem falar Português. (Mas aprendi muitas coisas no idioma e ainda lembro! 😀 ).

11750716_10207428209171861_2006938952088346561_n.jpg

         Representei minha cultura num país diferente, mostrei um pouco do meu mundo para tantas pessoas, para pelo menos despertar um pouco de curiosidade dentro deles para conhecer onde moro, e quem sabe me visitar um dia!
Recebi tanta ajuda, presentes, carinho dos meus hosts e amigos… Vi lugares lindos, como o Corcovado, Copacabana, Avenida Paulista…  Aprendi que dividir não é impossível, mesmo nesse nosso mundo cheio de competição e egoísmo, e que gentileza abre muitas portas.
Tive 6 semanas incríveis e eu não teria conseguir passar por tudo sem minha host family. Obrigada por tudo! Amo vocês e a Turquia espera uma visita!

-Gözde Öztürk

Nova etapa: Faculdade

Há um tempo atrás eu encontrei essa frase: And whether or not it is clear to you, no doubt the universe is unfolding as it should.”
(Tradução: E mesmo que isso não seja muito claro para você, não tenha dúvida de que o Universo segue na direção certa.)

10599477_10203971336872493_7812412479944572150_n
Nesses últimos meses pós-intercâmbio, muita coisa aconteceu! Comecei cursinho no Anglo, fiz o vestibular americano, apliquei para faculdades gringas, mudei de ideia sobre o curso que queria fazer, desisti do Anglo, passei na faculdade americana, fiz um curso para aquele mesmo vestibular gringo, fiz o teste de novo, não consegui bolsa para a faculdade… meu Deus! Achei que tudo estava perdido e daria errado… até que encontrei uma ótima faculdade no Brasil, que me fez ter certeza que o quero estudar é Hotelaria. Fiz o vestibular e passei! 🙂

Bom, essa faculdade é a Castelli – Escola Superior de Hotelaria e fica em Canela, no Rio Grande do Sul. E eu me mudo em 15 dias!!

10252139_10203978789218797_6043146173797317085_n-1
Mas voltando para a frase do começo do post, acho que aprendi que as coisas na vida realmente seguem o seu caminho. Acredito que não temos 100% de controle sobre as coisas, mas temos que fazer tudo o que achamos que podemos para realizar nossos sonhos e fazer as coisas que queremos acontecerem. Se não derem certo, é porque não era pra dar e coisas melhores estão por vir.
Quando os planos da primeira faculdade não deram certo, eu me senti meio perdida, achei que não ia conseguir entrar em nenhuma outra… bateu aquele desespero desnecessário, sabe? Mas foi ótimo, pois acabei descobrindo que aquele nem era o curso eu realmente me identificava.

Acho que é isso… só queria contar um pouquinho da novidade dos últimos meses, e vou continuar postando sobre a nova vida e experiência!

-Ana

Depoimento Bruno Puorto – High School, Canadá

BruDP

Bom… intercâmbio… sempre que paro para falar sobre com alguém, da aquele aperto no peito, aquela vontade de voltar, aquela saudade imensa. Pra começar que já sou uma pessoa completamente fascinada por viajar o que só aumenta a minha vontade de sempre estar buscando algo para fazer abroad. Minha mãe fez intercâmbio quando estava na faculdade,  ficou um ano em Paris, cresci ouvindo as histórias, então desde pequeno tinha vontade de fazer também, falava em “Torontolo” ou “Ostrália” hahaha

Quando fiquei mais velho… bem, não tão velho assim, aquele período de pré-adolescência, comecei a frequentar feiras de intercâmbio, pesquisar lugares, etc. Com 14 anos decidi (me achando né? Haha) que era realmente isso que queria e por mim teria logo embarcado pra um de 6 meses, porém meus pais acharam que era muito cedo pra ficar um período tão longo – e realmente eu acho que era mesmo. Decidimos então, que  eu iria fazer um Intercâmbio Teen, programa que dura 1 mês e é durante as férias – escolhi Vancouver, no Canadá – e se curtisse depois faria um mais longo. Conclusão: curti pra c******!! Voltei falando que era isso mesmo que queria. Um ano e meio depois embarquei para Squamish, uma cidadezinha com 17 mil habitantes no meio do caminho entre Vancouver e Whistler, famosa estação de ski, para um programa de 6 meses, o famoso High School.

image1

Bom, vamos para o que interessa, o programa em si. Exchange Program, acho que o nome já resume bem a ideia principal, né? É literalmente uma troca, você vive em uma cultura diferente da que você está acostumado, vive a vida de uma família que os costumes são diferentes dos seus, nova escola, novos amigos e tudo isso a milhares de quilômetros de distância de casa, o que deixa tudo mais empolgante.

Vou tentar resumir os pontos que eu acho mais relevantes, porque se depender de mim, dariam umas 10 páginas facilmente contando tudo de lá hahaha enfim… eu acho que a experiência que se ganha com um intercâmbio é algo que todos deveriam fazer. Costumo dizer que eu fiz “2 em 1”, tipo promoção, sabe? Vou explicar melhor hahah. Falo isso porque fiz o programa no Canadá, então escola canadense, amigos canadenses, o país em si que é incrível e cultura canadense. E a host family? Aí é que está o “segundo intercâmbio”. Tive o imenso prazer em ficar em um família de descendência indiana! Confesso que quando recebi o papel da família fiquei meio sem saber o que esperar, porque é uma cultura muito diferente da nossa, mas não podia ter pedido família melhor! Por isso que uma coisa que eu falo pra quem está indo ou pensando em ir é: vai de coração aberto. Uma das horas do dia que eu curtia muito era quando quase todas as noites, depois do jantar, a família inteira sentava pra tomar Chai  (chá indiano) e conversar. Era um momento muito gostoso. Além de mim, tinha um estudando do Chile que morava comigo, nos demos super bem. No Canadá, diferente dos EUA, muitas escolas são internacionais, ou seja, é comum nas escolas desse país ter uma quantidade considerável de intercambistas, ou International students, como somos chamados lá, o que pra mim foi uma experiência sensacional também; por exemplo, na escola em que eu estudei tinham mais ou menos 450 alunos, sendo que cerca de 100 eram Internationals. Então, além de canadenses, conheci pessoas de vários países, como, EUA, México, Chile, Alemanha, Suíça, Noruega, Espanha, Itália, Ucrânia, Japão, China, Filipinas, Mongólia, Índia, Austrália e claro “Brasilzão”; e com muitos deles mantenho contato até hoje, nos tornamos muito amigos mesmo. Na escola, tive oportunidade de fazer aulas que aqui no Brasil são impossíveis. Fiz Marcenaria (sei que você lembrou dos episódios de Manual de Sobrevivência Escolar do Ned hahah), Mecânica, trabalhei na Cafeteria da escola e joguei futebol americano. A  cidade em que eu  morava é totalmente de atividades outdoor, fiz de tudo lá, desde de subir em uma pedra em uma montanha as 5 da manhã para ver o amanhecer, fazer uma fogueira e assar marshmallowssentado nessa mesma pedra, vendo o pôr do sol, trilhas que até perdi a conta, até subir na montanha mais famosa da cidade, lugar inclusive que já serviu de cenário para filmes. Coisas que eu nunca fiz no Brasil. E por conta da proximidade com a estação de ski, ia quase todo final de semana, até trinquei o pulso fazendo snowboard.

Acho melhor encerrar por aqui, mas se deixasse…visshh, isso daria um livro.

Por mais que eu conte a experiência incrível que eu tive, é muito difícil colocar em palavras esse sentimento. Acho que só quem fez um intercâmbio consegue realmente entender a sensação.

-Bruno

Depoimento Ana Beatriz – High School, EUA

AninhaDP

Vocês já ouviram dizer aquela frase super clichê de quem fez intercâmbio? “Não é um ano em uma vida e sim uma vida em um ano”?
Pois é, todos aqueles que alguma vez disseram isso, estavam completamente certos.

Eu sempre soube que queria fazer intercâmbio, mas a ida da minha prima um ano antes de mim, foi o que desencadeou minha vontade.
Me chamo Ana Beatriz e aos 16 anos fui viver em Longmont, Colorado por 1 ano.
Eu sempre fui daquelas meninas que cresceu vendo Disney Channel e sonhando em algum dia poder estudar numa escola americana, eis o motivo pelo qual decidi ir para os Estados Unidos! (Confesso que não sou a maior fã de british ou aussie accent também! hahaha)

11401530_10205877696094812_7499162561652747711_n
Minha familia era composta por um casal e 2 filhos, mas a irmã mais velha fazia faculdade em outro estado.  E ah, eles tinham 2 gatos a Izzy e o Leo, o que eu demorei pra acostumar, mas depois peguei amor.
A escola onde eu estudei era considerada a “melhor” em esportes da região, e como sempre gostei disso, não deixei de aproveitar. Durante cada temporada fiz 1 esporte: vôlei, natação e tenis. E foi assim que eu fiz a maior parte dos meus amigos.
Como no programa você é obrigado a fazer algumas classes, tentei ao máximo escolher as melhores eletivas! Fiz de teatro, video produção, auto defesa… Eu amava!
Obviamente nem tudo é um mar de rosas… Como eu não sabia cozinhar, a maioria das minhas refeições durante os primeiros meses foi lanche, o que eu não recomendo à ninguém. Depois de um tempo não conseguia ver peito de peru ou presunto na minha frente! hahaha
Eu sou filha única e sofri um pouco com isso, mas pelo menos aprendi a me virar, e principalmente lidar com dinheiro e fazer milagres com ele.
Sou também meio cabeça dura, então às vezes meu santo e o da minha mãe americana não batiam… mas tudo era questão de tempo e conversa que acabava bem!
E ah.. 2 semanas antes de ir embora, rompi o ligamento do joelho! rs
Eu tive todas as experiências americanas que sempre quis, até as mais surreais que quem quiser saber um dia pode perguntar pra mim em off! Prom, jogos de futebol americano (Go Broncos!), awards, viagens, NEVE, incluindo ter que tirar a neve da frente de casa e também as folhas na primavera..

11401078_10205877699774904_8494924946068174577_n
Eu com absoluta certeza recomendaria essa jornada pra qualquer pessoa. Eu cresci muito como pessoa e fiz amizades que levo até hoje. Todos aqueles que não gostaram do intercâmbio é que não tiveram cabeça aberta e não fizeram o possível pra mudar o que não os agradavam.

Beijinhos,

Ana Beatriz
twitter.com/anabiacorrea

5 motivos para fazer intercâmbio

“Será que vale a pena mesmo?” , “Mas não é um ano perdido?”, “PRA QUE sair do país se eu posso estudar aqui mesmo?”

seuss-places-youll-goAcredito que essas são algumas perguntas válidas para quem tem dúvidas sobre fazer intercâmbio. Eu poderia fazer uma lista infinita, mas escolhi 5 bons motivos para tentar te convencer…

  1. Você se sente parte do mundo. 

Uma vez que você sai de casa por um tempo, não tem mais volta. Viajar vicia. Conhecer lugares e pessoas novas, culturas diferentes… tudo isso te faz sentir na pele que o mundo está de portas abertas para você explorá-lo.

  2. Você se torna mais independente.

Não importa se é um intercâmbio de um mês, seis meses ou um ano, um dos maiores desafios de estar fora da sua zona de conforto é se virar sozinho. Passar por situações que você não passaria normalmente vai te fazer ter uma super coragem instantânea para enfrentar qualquer coisa!

  3. Você conhece pessoas de vários países diferentes.

Tem coisa mais legal do que ter um amigo em cada cantinho do mundo? Tenho amiga na Bélgica, na Alemanha, na Finlândia, na Espanha… Incrível viajar para um lugar só e conhecer um pouco de vários lugares, né?! Além do mais, não precisa pagar hotel quando for visitar!! 😉

  4. Você aprende a valorizar mais seu país, família e amigos.

Apesar da saudade grande, estar longe de casa vai te fazer sentir falta de cada detalhe, cada coisa que já era rotina e você nem valorizava tanto. Um prato de arroz e feijão, uma tarde com os primos, alguma rua ou lugar da sua cidade que você gostava de passar, um abraço do seu melhor amigo, uma latinha de Guaraná, etc. Confesso que até deu um pouquinho de saudade do trânsito de São Paulo!

  5. Você volta uma pessoa diferente.

É inevitável dizer que quando você faz intercâmbio, você muda. Cresce e amadurece. Depois de sair da rotina por um tempo e viver uma experiência nova, é até meio engraçado olhar para trás e pensar na pessoa que você era antes. Por ver tanta coisa diferente, sua mente volta mais aberta. Conhecer lugares e pessoas diferentes vão, com certeza, mudar sua visão sobre o mundo.

E aí? Deu vontade de ir?

De volta pra casa…outra vez!

89 Sumi de novo mas voltei! Cheguei do Canadá no fim de Janeiro e tudo tem sido bem corrido desde então! Ainda matando a saudade de família e amigos, comecei a trabalhar, fiz alguns applications para faculdades americanas (que falarei sobre logo logo…), estou estudando bastante e indo na academia para perder esses “quilinhos canadenses”! Hahaha 2 Agora, sem dúvida alguma, posso falar que minhas duas experiências de intercâmbio foram ótimas! Se você leu alguns dos meus posts, deve ter percebido que foram bem diferentes. Eu falo que elas foram extremos.. Um com uma casa com crianças, vida mais agitada, matérias das escola mais fáceis… Outro com um casal de velhinhos aposentados, cidadezinha bem parada, aulas mais difíceis. Mas algo que as duas têm em comum é que foram super aprendizados para mim. Eu me tornei mais independente, responsável…aprendi a ficar bem comigo mesma e sendo quem eu sou… aprendi que assistir Netflix sozinha pode ser um programa de sábado até que legal…descobri que eu (acho que) sei o que eu quero para meu futuro…aprendi que respeito e confiança são muito mais importantes do que achamos, e que pré-julgar as pessoas é algo que todos nós devemos parar de fazer. E milhares de outras coisas. Além de tudo, conheci pessoas muito legais e que espero poder levar para sempre na minha vida, não importa a distância. Agora chega de intercâmbios e que a preparação para faculdade americana comece!! 🙏💜